Fratura por Estresse

Fratura por Estresse no Tornozelo

Uma fratura por estresse do tornozelo, é uma pequena fratura do osso. Essas fraturas minúsculas afetam muitas pessoas, desde atletas de elite até idosos relativamente inativos.

 

Os sintomas do tornozelo de fratura por estresse incluem dor, inchaço e imobilidade.

 

Fraturas por estresse são pequenas rachaduras ou contusões severas dentro de um osso. A maioria das fraturas por estresse é causada pelo uso excessivo ou pela força repetitiva, mas elas também podem ocorrer em pessoas cujos ossos foram enfraquecidos pela osteoporose ou outras condições.

 

Os pés e os tornozelos são frequentemente afetados por fraturas por estresse, pois são submetidos a muita força através de nossas atividades diárias de caminhar, saltar e correr.

 

Embora as fraturas por estresse dos metatarsos (ossos longos e finos nos pés) sejam o tipo mais comum de fratura, uma fratura por estresse do tornozelo também é uma ocorrência comum, particularmente em atletas e idosos.

 

Além da fratura por estresse do tornozelo, outros tipos de fraturas por estresse incluem:

 

  • Fraturas por estresse da fíbula (osso da panturrilha);
  • Fraturas por estresse da canela;
  • Fraturas por estresse da pelve.
Fratura por Estresse

Causas da Fratura por Estresse no Tornozelo

A maioria das fraturas por estresse do tornozelo e outros ossos do pé são decorrentes de lesões repetitivas e uso excessivo. Elas ocorrem quando o osso – que se adapta gradualmente ao aumento de cargas – é subitamente exposto a uma força maior que o normal. Os ossos que não tem tempo de recuperação adequado são incapazes de destruir ossos velhos e reconstruir novos ossos (um processo normal conhecido como remodelação) rápido o suficiente para atender à demanda. Portanto, os ossos são vulneráveis ​​a fraturas por estresse.

Venha para a Frade Said, uma clínica completa esperando por você.

Sintomas da Fratura por Estresse

Os sintomas da fratura por estresse do tornozelo tendem a se desenvolver gradualmente. Inicialmente, você pode notar uma leve dor, que piora com o tempo. Os sintomas mais comuns são:

 

  • Dor, que pode diminuir durante o repouso e aumentar durante a atividade física;
  • Ternura;
  • Inchaço;
  • Contusão.

Tratamento para Fratura por Estresse

Tratamento não cirúrgico

Muitas opções de tratamento estão disponíveis para fraturas por estresse no tornozelo, variando de simples terapias domiciliares a cirurgias para casos mais graves. Os tratamentos disponíveis incluem:

 

Fratura por EstresseDescansar. Muitas pessoas perguntam: “Você pode andar com uma fratura por estresse?” Embora você possa, é melhor descansar o pé no rescaldo imediatamente para dar tempo para o osso se curar. Sempre que tiver a oportunidade, tire o peso dos pés. Se você tiver que andar, o médico pode recomendar uma bota para manter o seu tornozelo seguro.

 

Gelo. Aplique uma bolsa de gelo no tornozelo por 15 minutos a cada 4 horas, ou conforme necessário. Isso ajuda a reduzir a dor e a inflamação.

 

Compressão. Se você sofre de inchaço no local da fratura por estresse, uma atadura de compressão elástica pode ajudar a aliviar os sintomas. Você também pode usar um suporte de tornozelo de compressão.

 

Elevação. Ao elevar o tornozelo acima do nível do coração, você restringirá o fluxo sanguíneo e combaterá a inflamação. Simplesmente sustente seu pé em uma cadeira ou travesseiros.

 

Tratamento cirúrgico

A intervenção cirúrgica é geralmente desnecessária para fraturas por estresse no tornozelo. No entanto, em casos raros, algumas fraturas podem exigir cirurgia para garantir que elas se curem completamente.

 

Atletas que desejam retornar rapidamente às atividades, ou pessoas cujo trabalho envolve tensão no tornozelo, podem ter que fazer cirurgia de tornozelo. Não se esqueça de usar um sapato pós-operatório para proteger o tornozelo após a cirurgia.

 

Recuperação da Fratura por Estresse

Quando se trata de uma fratura do tornozelo, o tempo de cicatrização cai dentre seis e oito semanas. No entanto, fraturas por estresse mais graves podem levar mais tempo para cicatrizar.

 

A chave para uma recuperação bem-sucedida é evitar atividades de alto impacto até que o médico ou fisioterapeuta disser que está tudo bem. Depois de voltar às atividades físicas, vá devagar e aumente gradualmente seu nível de atividade. Isso dá ao seu osso tempo adequado para crescer em resposta ao aumento dos níveis de atividade.

 

Quando você começar a trabalhar novamente, comece com atividades de baixo impacto que não ponham muito peso no tornozelo. Exemplos de exercícios de baixo impacto:

 

  • Ciclismo;
  • Golfe;
  • Correr na esteira;
  • Pilates;
  • Natação;
  • Ioga;

 

Retornar às atividades cedo demais coloca você em sério risco de re-lesão, o que poderia levar a fraturas de estresse que não curam adequadamente e problemas crônicos no tornozelo.

Agende já sua consulta: (11) 3171-1408 ou 3171-2639

Ligue para nós, agende via Whats App ou clicando no botão.

Fale via Whatsapp