Fratura do Calcâneo

Você já teve uma Fratura do Calcâneo?

Uma fratura do calcâneo é uma ruptura do calcâneo (osso do calcanhar). Os sintomas podem incluir dor, hematomas, dificuldade para andar e deformidade do calcanhar. Pode estar associado a quebras do quadril ou das costas.

 

Fratura do CalcâneoGeralmente ocorre quando uma pessoa cai de pé após uma queda de uma grande altura ou durante uma colisão com um veículo motorizado. O diagnóstico é feito com base nos sintomas e confirmado por radiografias ou tomografia computadorizada.

 

Se os ossos estiverem alinhados, o tratamento pode ser feito por fundição, sem rolamento de peso para cerca de oito semanas. Se os ossos não estão alinhados corretamente, geralmente você terá que fazer cirurgia. Voltar os ossos à sua posição normal proporcionará melhores resultados. A cirurgia pode demorar alguns dias, desde que a pele permaneça intacta.

 

Cerca de 2% de todas as fraturas são fraturas do calcâneo, no entanto, perfazem 60% das fraturas dos ossos do meio do pé. Fraturas não deslocadas podem cicatrizar em cerca de três meses, enquanto fraturas mais significativas podem levar dois anos. Sequelas como artrite e diminuição da amplitude de movimento do pé podem permanecer.

Sintomas de Fratura do Calcâneo

O sintoma mais comum é a dor na região do calcanhar, especialmente quando o calcanhar é palpado ou apertado. Outros sintomas incluem: incapacidade de suportar peso sobre o pé envolvido, mobilidade limitada do pé e claudicação. Após a consulta, o médico pode notar inchaço, vermelhidão e hematomas. Um hematoma que se estende até a sola do pé é chamado de “Mondor Sign” e é patognomônico para fratura do calcâneo. O calcanhar também pode se alargar com edema associado devido ao deslocamento da borda lateral do calcâneo. O envolvimento dos tecidos moles (tendões, pele, etc.) deve ser avaliado, pois a lesão dos tecidos moles tem sido associada a complicações graves.

Teve alguma fratura e precisa de atendimento? Entre em contato conosco.

Causas de Fratura do Calcâneo

As fraturas do calcâneo são frequentemente atribuídas ao estresse de cisalhamento associado a forças compressivas combinadas com uma direção rotativa. Essas forças são tipicamente ligadas a lesões nas quais um indivíduo cai de uma altura grande, sofre um acidente de automóvel ou estresse muscular, onde as forças resultantes podem levar ao traumatismo da fratura. Aspectos negligenciados que podem levar a uma fratura do calcâneo são a osteoporose e a diabete.

 

Infelizmente, a prevenção de quedas e acidentes automobilísticos é limitada e se aplica a circunstâncias únicas que devem ser evitadas. O risco de fraturas por estresse muscular pode ser reduzido através de exercícios de alongamento e de sustentação de peso, como o treinamento de força. Além disso, o calçado pode influenciar forças que podem causar uma fratura do calcâneo e pode também as prevenir. Um estudo de 2012 conduzido por Salzler mostrou que a tendência crescente de calçados minimalistas ou de correr descalço pode levar a uma variedade de fraturas por estresse, incluindo a do calcâneo.

Tratamento para Fratura do Calcâneo

Tratamento não cirúrgico

Fratura do CalcâneoO tratamento não cirúrgico é para fraturas extra-articulares e fraturas intra-articulares tipo I de Sanders, desde que a superfície de sustentação do calcâneo e a função do pé não sejam comprometidas. Os médicos podem optar por realizar redução fechada com ou sem fixação (fundição) ou fixação isolada (sem redução), dependendo do caso. As recomendações incluem não colocar peso no local por algumas semanas, seguidas de exercícios de amplitude de movimento e colocar peso de pouco a pouco, durante 2 a 3 meses.

 

Tratamento cirúrgico

Fraturas intra-articulares deslocadas requerem intervenção cirúrgica dentro de 3 semanas após a fratura, antes que ocorra consolidação óssea. A cirurgia conservadora consiste em redução fechada com fixação percutânea. Esta técnica está associada a menos complicações da ferida, melhor cicatrização do tecido mole (devido à manipulação de tecidos menos moles) e diminuição do tempo intraoperatório. No entanto, este procedimento aumenta o risco de fixação óssea inadequada do calcâneo, em comparação com os procedimentos abertos. Atualmente, a redução aberta com fixação interna (ORIF) é geralmente a abordagem cirúrgica preferida quando se lida com fraturas intra-articulares deslocadas. Técnicas e equipamentos cirúrgicos mais novos e inovadores diminuíram a incidência de complicações intra e pós-operatórias.

Agende já sua consulta: (11) 3171-1408 ou 3171-2639

Ligue para nós, agende via Whats App ou clicando no botão.

Fale via Whatsapp